quarta-feira, 26 de março de 2014

Vermífugo para o Teletubie punk

Recebi de uma corrente, por isso faço a postagem: "o Teletubie punk passou dos limites hoje (26 de março de 2014). Está enfezado demais. Por isso: vermífugo para o Teletubie punk [o charlata da Banda Assumidamente Apoiada pela Fundação], urgente. Ele precisa eliminar os vermes. Urgente". É isso. Pela causa. Pela paz na cidade.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Nóia


— Quantos campeonatos passam na tevê?
– Ah, sei lá.
— Tem os estaduais, o brasileirão, a libertadores, a Copa do Brasil.
– E os jogos da Europa?
— Num sábado à noite, em janeiro, vi um jogão do campeonato argentino.
– Qual?
— Boca e River.
– Quem venceu?
— Empatou, um a um.
– Mas...
— Essa cerveja está maravilhosa, não está?
– Ótima.
— Um brinde.
– Viva.
— Ei, lembra do Richard?
– O gringo?
— É, o Richard Pants.
– O cara cheio de ideias.
— Até demais.
– Vinha com cada uma.
— Uma vez...
– Tem visto o gringo?
— Sumiu.
– Que figura.
— Uma vez ele me disse que ficar em frente da tevê ligada é igual a fazer ioga.
– O quê?
— Que ver televisão é o mesmo que fazer ioga.
– Como assim?
— O Pants dizia que diante da tevê ligada ele conseguia suspender os fluxos mentais.
– Sério?
— Não parecia ser piada.
– Então, ele não pensava em nada vendo televisão?
— Isso mesmo.
– Que figura.
— O Pants também dizia que depois de meia hora de televisão, ele estava completamente relaxado.
– Ideia zoada...
— Ele jurava que, não fosse a sessão em frente à tevê, depois do trabalho, não conseguia dormir.
– O Pants é um pagão.
— Sempre com uma tese pra tudo.
– O rei da pensata. Foi você que colocou esse apelido nele, não foi?
— Acho que sim, não lembro.
– E o que você acha da pensata?
— De que ver tevê é igual a fazer ioga?
– Sim.
— Acho uma bobagem.
– Sério?
— O Pants só fala besteira.
– Sabe que eu também acho...
— Só que ele diz as coisas com convicção.
– Concordo.
— Daí, tem gente que acredita.
– É isso aí.
— Um brinde.
– Saúde.
— Mas falávamos do quê?
– Do Pants.
— Não, antes...
– Antes?
— Era...
– Ah, lembrei.
— Do quê?
– De futebol.
— Pois é, dos campeonatos.
– Acho que todo dia passa jogo na tevê...
— Tem mesmo.
– Você...
— Eu vejo pelo menos um jogo por dia.
– Todo dia?
— Às vezes, mais de um...
– Sério?
— É que eu tenho, nem sei dizer...
– O quê?
— É um...
– Diga.
— Sei lá, acho que é um vício...
– Vício?
— Um hábito...
– Hábito?
— É.
– Não tô entendendo.
— Eu só consigo pensar vendo jogo na tevê.
– Como assim?
— Eu penso vendo futebol na televisão.
– Pensa?
— Exato.
– Mas...
— O Pants não disse que faz ioga vendo tevê?
– Mas o Pants...
— Eu penso.
– Ah...
— É o meu tempo de reflexão.
– Você pensa no quê?
— Enquanto eu vejo jogo?
– Sim.
— Em quase tudo.
– Tudo?
— Tento imaginar seis números pra acertar na Mega-Sena...
– Interessante...
— Lembro dos assuntos comentados no Facebook, rolezinho, Batman do Leblon...
– Você pensa em fatos?
— Ah, como vou te explicar, eu, eu vejo um jogo e esqueço do futebol. Enquanto os jogadores chutam a bola, penso nas coisas, tento entender o que...
– O Pants diz que interrompe o fluxo do pensamento, e você segue pensando em frente à tevê?
— Isso mesmo.
– E na Copa?
— O que é que tem a Copa?
– Nos jogos do Brasil, você também esquece o futebol e...
— Engraçado...
– O que é engraçado?
— Se eu te contar, você não acredita...
– Conte.
— Será?
– Está me deixando curioso...
— Bom, quando o Brasil joga...
– Que é que tem?
— Eu, bom, eu penso nas mulheres que tenho vontade de pegar.
– O quê?
— Isso mesmo.
– Não entendi.
— Quando a seleção brasileira entra em campo, desligo do jogo e fico pensando nas mulheres que me excitam, seja uma desconhecida que vi na rua ou mesmo a mulher de algum conhecido.
– Em todo jogo do Brasil?
— Sim.
– Que coisa.
— E quando o Brasil faz gol...
– O que é que tem?
— Daí, é como se eu...

## Conto publicado originalmente na página 60 da revista Ideias, n.º 149, março de 2014.


segunda-feira, 17 de março de 2014

Com Magrão no Centro de Curitiba

Encontro com Arlindo Ventura, o Magrão, no centro de Curitiba, ao lado da Catedral, às 10 horas do dia 17 de março de 2012.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Golegolegolegolegah! em Castro (PR)

Ana Paula Galkowski, ao centro, faz circular meu livro Golegolegolegolegah! no Colégio Sesi Castro (PR), além de incentivar a leitura continuamente.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Patrulheiros

Uma equipe de Joseph Ruela's diz estar me monitorando. Saca só o tipo dos equipamentos.

sexta-feira, 7 de março de 2014

Gorda grotesca


Gorda grotesca de coxa grossa
mestra no embuste doutora na fraude
famosa cafetina do talento alheio
galinha pesteada que come os olhos dos pintainhos
falsa loira cavadora de louros
bicha cabeluda onde toca nascem verrugas negras
toupeira cevada nas larvas da traição
ó barata leprosa de botinha e liga roxa
entre a vassoura e o chinelo corre maldita corre

"Gorda grotesca" está na página 57 de Até você, Capitu?, livro de Dalton Trevisan publicado em 2013 pela L&PM.

Monitoramento

Também estou de olho em você.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Mistérios de Curitiba - 1

Tem coisas que só acontecem em Curitiba, por exemplo: uma banda que se diz punk, mas é, na realidade, uma banda assumidamente apoiada pela fundação, sustentada pela prefeitura há mais de dez, vinte anos. E, apesar disso, se diz punk. O discurso do Teletubies (Que canta o discurso alheio) é agressivo, mas inoperante. 
É o punk teletubies, mais um Mistério de Curitiba.

Circula no Facebook?